Segunda noite de Festival de Violão acontece no Palácio da Música

Neste sábado, 29, o Palácio da Música vai receber um grande encontro de cordas e versatilidade no segundo dia de Festival de Violão de Teresina. As apresentações iniciam às 17h e seguem até a noite com entrada franca. No palco, grandes nomes da música piauiense como Felipe Vilarinho e Welington Torres, o mineiro Cristiano Braga e o Duo Siqueira-Lima.

Promovido com o apoio da Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, o Festival de Violões de Teresina e visa fomentar o desenvolvimento de músicos, com cursos e encontros, em momento de intercâmbio cultural, além de presentear a comunidade com apresentações gratuitas de grandes artistas. Além das apresentações, o evento conta com a realização de masterclass, recitais e o concurso de violões.

Iniciando as apresentações, às 17h o evento conta com um show de técnica e musicalidade com Felipe Vilarinho e Welington Torres. O primeiro, natural de Regeneração/PI, é compositor e violonista, graduado em música pela UFPI e pós-graduado em Educação Musical. É atualmente professor de Violão do Instituto Federal do Piauí – IFPI e autor de cerca de 40 peças para violão e outras formações. Além disso, é autor de dezenas de arranjos para duos, trios e quartetos de violão. É regente e diretor musical da OVT – Orquestra de Violões de Teresina e lançou em 2017 o CD intitulado “Noturno e Silencioso” com músicas, arranjos e transcrições próprias.

Wellington Torres é compositor e violonista, graduado em Música pela UFPI. É professor da Escola Estadual de Música Possidônio Queiroz, Escola Dona Gal e do Projeto Violão nas Escolas. É também produtor e diretor musical tendo bastante atuação no cenário piauiense com trabalhos junto com a Orquestra Sinfônica de Teresina, Ensaio vocal, e grupo BMW2, grupo de música instrumental que toca musicas brasileiras, como choro, samba, valsas, bossa nova,  clássicos do forró, baião, xote e também internacionais populares e eruditas.

Na sequência, às 19h30, quem toma o palco é o mineiro Cristiano Braga. Natural de Belo Horizonte, é bacharel em violão pela UFMG e Mestre em Música/Práticas Interpretativas/Violão na UFRGS. Foi vencedor do prêmio jovem músico 2005 e premiado no Concurso Nacional Villa Lobos 2009. Como concertista, atuou nas principais salas de concerto de Minas Gerais, como o Grande teatro do Palácio das Artes, sala Juvenal Dias (Palácio das Artes) dentre outros.

E finalizando na noite, uma das principais atrações do evento. Formado pela uruguaia Cecilia Siqueira e pelo mineiro Fernando de Lima, o Duo Siqueira-Lima é um dos mais prestigiados duos de violões da atualidade. Com um trabalho que une o clássico ao instrumental brasileiro, são reconhecidos mundialmente pelo virtuosismo técnico, interpretativo, perfeito entrosamento e por seus ousados e originais arranjos para dois violões.

Festival de Violão inicia nesta sexta com show de Yamandu Costa

Nesta sexta-feira, 28, inicia um grande encontro de talentos das cordas com a realização do Festival de Violão de Teresina. A abertura acontece com um grande show de Yamandu Costa no auditório Jesus Elias Tajra Filho, na CDL, à partir das 19h30. A abertura será com a Orquestra de Violões de Teresina e a apresentação conta ainda com a participação do violonista Rogério Caetano.

O Festival de Violões de Teresina conta com apoio da Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, e visa fomentar o desenvolvimento de músicos, com cursos e encontros, em momento de intercâmbio cultural, além de presentear a comunidade com apresentações gratuitas de grandes artistas.

Iniciando a noite, a Orquestra de Violões de Teresina leva um repertório empolgante e sofisticado para o evento. O grupo é mantido com o apoio da Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves e nasceu do Projeto Violão na Escola, que consiste em oferecer gratuitamente aos alunos da rede pública de ensino aulas de musicalização por meio do violão, proporcionando aos alunos a aquisição de conhecimentos de Teoria e Percepção Musical, Apreciação Musical e Prática Instrumental do instrumento. O Projeto teve sua origem em 2007 e atualmente a coordenação está a cargo do violonista e professor Ravi Annael, e a regência da Orquestra sob a responsabilidade do violonista e professor Felipe Vilarinho.

 

Em seu repertório, a Orquestra de Violões mescla composições eruditas e populares de vários períodos e estilos: de Stravinsky a Baden Powell, de Bach a Tom Jobim, a maioria tocadas com arranjos próprios e de compositores renomados do meio violonístico.

Logo em seguida, quem toma o palco é a atração principal da noite. Yamandu Costa é um dos maiores talentos do violão brasileiro e referência mundial na interpretação da nossa música, a qual domina e recria a cada performance, inclusive em suas composições. Sua criatividade musical se desenvolve livremente sobre uma técnica absolutamente aprimorada, explorando todas as possibilidades do violão de 7 cordas, renovando antigos temas e apresentando composições próprias de intenso brilho, numa performance sempre apaixonada e contagiante.

A apresentação de Yamandu conta com a participação de Rogério Caetano, que é músico, violonista, arranjador, produtor musical e compositor brasileiro. Bacharel em Composição pela Universidade de Brasília, é um premiado, virtuose e referência do violão de 7 cordas. Com uma linguagem revolucionária, representa uma nova escola desse instrumento.

Balé da Cidade recebe residência artística com coreógrafo carioca

Seguindo a programação dos 25 anos do Balé da Cidade de Teresina, o grupo está incrementando as atividades com a presença do coreógrafo carioca Rafael Gomes [SP/Bélgica], que promove uma residência de criação até o dia 24 desse mês. Além dele, estão participando também 5 dançarinos convidados da Cia José Nascimento, Projeto Redemoinho / Escola de Dança Lenir Argento e Núcleo piauiense de danças urbanas. A iniciativa visa contribuir com a formação artística na cidade, expandir as ações do grupo.

O Balé da Cidade de Teresina é mantido pela Prefeitura Municipal de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves e realiza suas atividades na Casa da Cultura de Teresina. O grupo visa o desenvolvimento e aprofundamento da dança e, para isso, promove o intercâmbio de vários artistas.

Rafael Gomes é graduado no Centro de Dança Rio e foi membro do Balé Jovem do Rio de Janeiro. Fez intercâmbio no Washington Ballet, onde dançou obras de Lorraine Audeoud Spiegler no The John F. Kennedy Center for the Performing Arts. Passou por Companhia de Dança Deborah Colker onde estreou no Barbican Centre em Londres, fazendo turnê por todo Reino Unido, Japão, Estados Unidos e América do Sul. Além disso, foi solista na São Paulo Companhia de Dança, com direção de Inês Bogéa e Iracity Cardoso. Dançou repertório diversificado, como George Balanchine, Jiri Kylian, Nacho Duato, Willian Forsythe, Marco Goecke, Alessio Silvestrin e Rodrigo Pederneiras. Foi um dos solistas principais no Die Movimentos Festwochen der Autostadt na Alemanha e Tanz Bozen na Italia.

 

Foi bailarino na GöteborgsOperans Danskompani com direção de Adolphe Binder, onde dançou coreografias de Hiroaki Umeda e Satoko Takahashi e workshops com Saburo Teshigwara e Marcos Morau e aulas Gaga Movement com Keren Pardes, Rebecca Hytting e Tom Weinberger.Trabalhou no Théâtre Varia em Bruxelas e no Théâtre de Liège, com o trabalho mais atual do coreógrafo Claudio Bernardo, onde foi indicado pela critica de artes cênicas da Bélgica.

Como coreógrafo, atuou na São Paulo Companhia de Dança, Grupo Divinadança, Vídeo performances, Desfiles de moda, Museus e catálogos. Atualmente, coreógrafo convidado do Balé Cidade de Campina Grande no Brasil, com seu trabalho autoral, METAL. Seguindo a linguagem contemporânea teatral desenvolve seus workshops por todas as escolas e companhias do país, entre elas Cisne Negro Cia de Dança (SP), Cia de Danças de Diadema (SP) e Foco Cia de Dança (DF).

O trabalho desenvolvido por Rafael com o Balé da Cidade de Teresina deverá ser apresentado no ano que vem. “Vim fazer os primeiros movimentos, as primeiras interseções. A gente fez um estudo agora e deixamos o material pronto para ser trabalhado. O trabalho tem estreia no próximo ano. E no primeiro semestre volto pra acompanhar a companhia”, destaca.

 

Projeto Vem que é Teatro leva Elegbara ao Teatro do Boi nesta sexta-feira (14)

Nesta sexta-feira, 14, o Teatro do Boi recebe mais uma edição do Projeto Vem que É Teatro, que apresenta o espetáculo Elegbara, que traz um mergulho no imaginário das religiões afro-brasileiras em um conto baseado no mito de Édipo Rei. A apresentação acontece às 19h30 com entrada franca. A classificação é 16 anos.

 

O Vem Que É Teatro foi implementado pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, com o propósito de fomentar e estimular a produção e o consumo do teatro de Teresina. O projeto visa criar uma agenda permanente de apresentações teatrais na cidade, agregadas à leituras de texto, discussões e oficinas, além da formação de plateia. Ele acontece sempre às sextas-feiras no Teatro do Boi e João Paulo II.

 

E para essa semana, a apresentação fica por conta da Companhia de Teatro Jovens em Cena – COTJOC-, que traz um espetáculo cheio de mistérios escrito para dois atores, Brunno e Janá Silva, com um caráter meta teatral e provoca um efeito de transcontextualização do mito de Édipo.

 

A peça, que conta com texto de Toni Edson, iluminação e direção de Arimatéia Bispo, traz muitas revelações que acontecem de maneiras difusas e sempre conectadas com o pensamento religioso do candomblé, trazendo segredos e mistérios cultivados por anos e atentos a uma tradição de extrema beleza. Foi escrito depois de uma edição do Fórum de Performance Negra, em Salvador, em 2008.

Banda 16 de Agosto comemora 50 anos com um grande concerto

 

Neste ano, a Banda 16 de Agosto comemora o seu cinquentenário levando muita música para vários cantos da cidade e, no domingo, dia 16, prepara um concerto especial no Palácio da Música, a partir das 11h. A apresentação conta com um repertório especial e a participação da soprano Gislene Danielle. A entrada é franca.

 

A Banda 16 de Agosto é mantida pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, e tem uma longa história musical com a cidade. O nome é uma homenagem à data de aniversário do município e, nos seus 50 anos, foi sempre a principal plataforma musical em eventos oficiais da PMT.

 

O maestro Antônio Linhares, à frente do grupo há 35 anos, destaca a evolução da banda, criada em 1968 pela Lei 1213, pelo prefeito Jofre do Rêgo Castelo Branco, e que iniciou com apenas 17 músicos e hoje conta com 45 integrantes, instrumentação de banda sinfônica, estando os naipes das madeiras, metais e da percussão representados na sua integridade. “Sempre digo que a Banda 16 de Agosto é a banda mãe de todas as culturas musicais que existem dentro da Prefeitura porque foi a primeira entidade com funcionários efetivos”, destaca.

 

Durante todos esses anos de existência, grandes músicos e mestres passaram pela corporação, como Jorge Tavares, seu fundador, Luis Santos, João Aguiar Costa, Aurélio Melo Colombro, Gilvan Santos, Orion, e outros. Hoje, ela é comandada pelos maestros Egilson Monteiro e Antônio Linhares, que montaram um repertório especial para a apresentação de domingo, que vai de clássicos como Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, ao rock de Guns N’ Roses, com Welcome To The Jungle.

 

Segundo Linhares, além da apresentação desse domingo, o grupo prepara diversos concertos para comemorar os 50 anos com o que eles sabem fazer de melhor: música em todos os cantos da cidade. “A banda completando 50 anos, vamos fazer uma festividade grande em setembro, outubro, novembro e dezembro com apresentações no Palácio da Música, nos shoppings e praças. Vamos fazer uma grande manifestação cultural levando a música para todas as partes”, finaliza o maestro.