Encontro de Bois reúne 12 grupos no Lagoas do Norte

Teresina, assim como toda capital do Nordeste, carrega muito das tradições da região e tem sua marca na cultura popular com a dança do Bumba-meu-boi. Nesse fim de semana toda essa mistura de cores, ritmos e alegria estará em evidência no 15º Encontro de Bois de Teresina, que acontece no anfiteatro do Parque Lagoas do Norte, a partir das 19h.

Promovido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMCMC), o Encontro de Bois de Teresina é um evento sem caráter competitivo que tem como objetivo a valorização do folclore e o amadurecimento e fortalecimento da cultura regional. As apresentações, repletas de dança, cores e batucadas, resgatam a tradição de décadas dos grupos, muitos deles passados de pai para filho.

O coordenador de cultura popular da FMC, Wellington Sampaio, conta que a tradição das apresentações de Boi em Teresina já tem quase um século, com grupos com mais de 70 anos passados de geração para geração. “É uma marca muito forte da nossa cultura, com comunidades envolvidas nas atividades o ano todo. Não é só a apresentação no período junino, pois temos eventos como a morte do Boi e outras ações dos grupos”, destaca.

Wellington conta que o evento já está na 15ª edição sendo promovido pela Prefeitura de Teresina, mas ocorre há muito mais tempo, quando era organizado pela Associação dos Grupos de Boi. “Nessa época, ele era uma competição entre os grupos e quando a Prefeitura resolveu abraçar, achou melhor transformar em uma mostra da nossa cultura, valorizando as apresentações em si e a liberdade”, explica.

Na edição deste ano, o evento contará com dois dias de apresentações, sendo seis grupos de boi-bumbá por noite. De acordo com a programação, no sábado (13) a abertura será com a Quadrilha Junina Chapadão do Corisco, seguido dos grupos Boi Mimo de São Jorge, Boi Beija-Flor Floresta, Boi Riso da Floresta, Boi Chacumboi, Boi Estrela da Noite e Boi Riso da Mocidade, encerrando com o forró Sandália de Couro.

O domingo inicia com a Quadrilha Luar do São João, um dos destaques do Piauí no Nordeste, vencedora de diversos concursos em 2019, seguido do Boi Precioso, Boi Brilho da Noite, Boi Dominante da Ilha, Boi Touro da Ilha, Boi Capricho da Ilha e Imperador da Ilha, finalizando com o forró Chiado da Chinela.

 

PROGRAMAÇÃO DO 15º ENCONTRO DOS BOIS DE TERESINA – 13 e 14 DE JULHO NO PARQUE LAGOAS DO NORTE

13/07 (SÁBADO)

ABERTURA- QUADRILHA CHAPADÃO DO CORISCO

BOI MIMO DE SÃO JORGE (Boi de Orquestra)

BOI BEIJA-FLOR FLORESTA

BOI RISO DA FLORESTA

BOI CHACUMBOI

BOI ESTRELA DA NOITE

BOI RISO DA MOCIDADE

FORRÓ PÉ-DE-SERRA: SANDÁLIA DE COURO

 

14/07 (DOMINGO)

ABERTURA- QUADRILHA LUAR DO SÃO JOÃO

BOI PRECIOSO (Boi de Orquestra)

BOI BRILHO DA NOITE

BOI DOMINANTE DA ILHA

BOI TOURO DA ILHA

BOI CAPRICHO DA ILHA

BOI IMPERADOR DA ILHA

FORRÓ PÉ-DE-SERRA: CHIADO DA CHINELA

Encontro de Bois de Teresina acontece nos dias 13 e 14 no Lagoas do Norte

A região do bairro Poty Velho, na zona norte, guarda muito da nossa história como berço da cidade e ainda muitos traços da cultura no artesanato. E mais do que apenas a arte material, ainda abriga a tradição que vive e se renova com a realização do 15º Encontro de Bois de Teresina. O evento acontece no Anfiteatro do Parque Lagoas do Norte durante os dias 13 e 14 desse mês e reúne 12 grupos de boi-bumbá, além de apresentação de quadrilhas e muito forró pé de serra.

 

Promovido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal Monsenhor Chaves, o Encontro de Bois de Teresina é um evento sem caráter competitivo e tem como objetivo a valorização do folclore, o amadurecimento e fortalecimento da cultura regional. As apresentações, repletas de dança, cores e batucadas, resgatam a tradição de décadas dos grupos, muitos deles passados de pai para filho.

 

O evento contará com dois dias de apresentações, sendo seis grupos de boi-bumbá por noite. De acordo com a programação, no primeiro dia, a abertura será com a Quadrilha Junina Chapadão do Corisco, seguida das apresentações dos grupos de bumba meu boi. O encerramento será com a banda de forró pé de serra Sandália de Couro. Na segunda noite, a abertura é com a Quadrilha Luar do São João e a festa será finalizada com o forró Chiado da Chinela.

 

Para o coordenador de cultura popular da FMC, Welington Sampaio, o evento é de grande importância para o nosso folclore por manter acesa a tradição dos grupos com as apresentações. “É gratificante vermos que estamos ajudando a repassar essa nossa herança cultural, que são os grupos de boi. Nos eventos, temos a presença de famílias, muitas crianças, o que mostra que essa tradição está sendo repassada”, finaliza.

Teatro do Boi: Projeto Vem Que É Teatro traz 17 Minutos Antes de Você

Nesta sexta-feira, 05, o Teatro do Boi recebe mais uma edição do Projeto Vem Que É Teatro, que traz uma peça cercada de drama e aprendizados sobre a vida. É o espetáculo 17 Minutos Antes de Você, da Truá Cia de Espetáculos, que será apresentado às 19h com entrada franca.

Promovido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, o Projeto Vem Que É Teatro tem como objetivo fomentar e estimular a produção e o consumo do teatro de Teresina. O projeto visa criar uma agenda permanente de apresentações teatrais na cidade, agregadas à leituras de texto, discussões e oficinas, além da formação de plateia. Ele acontece sempre às sextas-feiras no Teatro do Boi e João Paulo II sempre com entrada franca.

Para esta edição, o projeto vem com o espetáculo encenado por Vitorino Rodrigues e Júnior Marks, com direção de Eraldo Maia. Nele, é contada a instigante história de um casal de idosos que construiu toda uma vida juntos e vive suas vidas mergulhadas nas ranzinzices, manias e inquietações. O conflito surge exatamente no desencontro destas vontades oponentes entre si: a mulher quer fazer o rádio funcionar para poder ouvir sua novela; o homem tenta encontrar um remédio para sanar seu problema de pressão arterial.

O espetáculo, que foi montado em 2008, é construído através destes desencontros em que o que seria solução para um é problema para o outro, numa gangorra na qual só o afeto construído durante todo este tempo de convívio matrimonial pode tornar possível a convivência entre ambos.

Recital de violão ocorre nesta quarta-feira (03) no Palácio da Música

Nesta quarta-feira (03) acontece o recital de encerramento do curso de violão do Palácio da Música de Teresina. O evento que faz parte da programação do curso, tem entrada franca, a partir das 18h.

A casa cultural oferece cursos para iniciantes em alguns instrumentos, e ao final de cada semestre, realiza um recital de encerramento para estimular os alunos e mostrar seu progresso em palco, proporcionando experiências a nível profissional aos estudantes. De acordo com Paulo Dantas, gerente de promoção cultural da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), a experiência é essencial para os alunos.

“Durante os cursos, os alunos aprendem as lições de cada instrumento e é essencial que coloquem em prática todo o aprendizado. Essa é uma experiência para o crescimento musical de cada um”, disse.

Matrículas para Curso de Violão

Para os interessados em iniciar o curso, o Palácio da Música abre inscrições para alunos novos nesta quinta-feira (04). As aulas acontecem uma vez por semana, com duração de 06 meses para jovens entre 08 e 14 anos, e duração de 02 meses para jovens a partir dos 15 anos e adultos. As aulas iniciarão já na primeira semana de agosto de 2019, a partir do dia 05.

As matrículas poderão ser feitas no próprio Palácio da Música, de segunda à sexta-feira, entre 8h e 18h, sem pausa para almoço. Elas duram de acordo com a disponibilidade de vagas, ou seja, por ordem de chegada. Não é necessário trazer documentos, apenas preencher uma ficha disponibilizada e realizar o pagamento da taxa única no valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). Não há mensalidade.

Confira os horários dos cursos de violão disponibilizados:

Violão para crianças de 08 a 14 anos (precisa possuir o instrumento):

Segunda-feira, 8h-9h30

terça-feira, 15h-16h30

sexta-feira, 8h-9h30

sexta-feira, 15h-16h30

Violão para adultos e jovens a partir de 15 anos / Turmas de 02 meses (precisa possuir o instrumento):

Segunda, 15h30 – 17h

Quinta, 16h30 – 18h

Sexta, 18h-19h30

22º Festival de Dança de Teresina está com inscrições abertas

O maior encontro de técnica e movimento do Piauí já tem data marcada e está com inscrições abertas. A 22ª edição do Festival de Dança de Teresina acontece no mês de setembro e os grupos interessados em participar já podem se inscrever até o dia 02 de agosto.

 

O evento é promovido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves e tem como objetivo valorizar e disseminar a dança na cidade de Teresina, tornando-a uma referência nacional, bem como revelar bailarinos, coreógrafos, criadores e pesquisadores no fazer da dança.

 

O edital já está disponível no site da Prefeitura de Teresina [www.teresina.pi.gov.br] e da Fundação Monsenhor Chaves [www.fcmc.teresina.pi.gov.br] e, de acordo com o regulamento, ele acontece de 19 a 22 de setembro, aberto para trabalhos de todo o país. As inscrições podem ser feitas na Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, ou via postal, no endereço: Rua Félix Pacheco nº 1440 – Centro, Teresina-PI – CEP: 64001-160. 3.2. Para as inscrições via postal, será considerada postagem datadas até o dia 02 de agosto.

 

Poderão participar bailarinos, escolas e grupos de dança de todos os estados do Brasil e a seleção será feita pela Comissão Organizadora do Festival de Dança. Os resultados com os grupos aprovados na seleção serão divulgados no dia 09 de agosto nos sites da FMC e PMT, ou junto à Coordenação do Festival na sede da Fundação Municipal de Cultural Monsenhor Chaves, no horário das 8h às 13h.

 

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora composta por 03 (três) membros de expressão no meio artístico da dança, que classificará os trabalhos com nota única. Os trabalhos serão classificados pelo corpo de jurados em: 1º lugar, 2º lugar e 3º lugar. Os três primeiros classificados em cada categoria/modalidade serão divulgados na mesma noite, após as apresentações.

 

As premiações serão divididas da seguinte forma: variações, solos, duos, trios, pas de deux e grand pas de deux, os conjuntos classificados em 1º, 2º e 3º lugares em cada modalidade/categoria receberão troféu e/ou medalhas. A premiação em dinheiro chega a R$ 1mil.

Bailarinos do Balé da Cidade desenvolvem prática de aula e compartilham conhecimento

A partir dos momentos de crise se pensam e se criam oportunidades e soluções criativas para o fazer artístico. Pela impossibilidade de ter professor, os bailarinos do Balé da Cidade de Teresina começaram a se dar aula, a desenvolver e compartilhar habilidades dentro da Companhia.

 

“Isso surgiu em um momento em que não tínhamos condição de ter professor contratado e já tinham passado professores pela Companhia que eram excelentes, mas não estava funcionando. Só que eles tinham apenas aquela relação de professor que só dá aula e vai embora, sem acompanhar muito a produção e os espetáculos do Balé. Isso  acabava que ficava uma aula ‘descolada’”, explica a coordenadora artística do Balé da Cidade de Teresina Janaína Lobo.

 

A ideia foi um desafio, onde muitos dos bailarinos já davam aula em escolas de dança e academias particulares, já outros não tinham experiência nesse sentido, mas tinham o interesse de desenvolver essa habilidade. Então, a provocação foi feita: que tipo de aula precisamos para a manutenção não só física, mas também de ativar a percepção, ser um momento de estudo? O que posso aprender com essa aula do meu colega, numa relação de aula como manutenção ?

 

Cada bailarino prepara e compartilha sua aula de acordo com suas especialidades, já que a Companhia possui um corpo plural, com bailarinos que vieram de diversos estilos de dança. Das aulas feitas, existe a aula fixa da Natália Nascimento, que também é fisioterapeuta. “Ela faz um trabalho de prevenção de lesão e também de fortalecimento. Como ela é bailarina da Companhia e sabe quais são os espetáculos que estamos ensaiando, ela faz uma aula pensada para aquele trabalho. Cada trabalho tem sua especificidade”, observa Janaína.

 

“São procedimentos preventivos. Conversamos sobre como poderíamos colocar a fisioterapia na parte preventiva, colocando pilates, fisioterapia desportiva, e às vezes fazer também parte do tratamento quando os meninos estão machucados, ter mais esse cuidado. Penso a aula de acordo com a necessidade do corpo de cada um.” observa Natália.

 

Além das aulas dos próprios bailarinos da Companhia, o Balé também está aberto para professores e artistas teresinenses e de fora da cidade. Este ano a Companhia recebeu a artista Clarice Lima, de São Paulo, que ministrou a oficina de Flying Low e Passing Through e também a instrutora de yoga Aline Ribeiro.

 

“Começou como uma situação de crise, mas olhando hoje foi um ganho que tivemos, de ali de dentro surgir e desenvolver as aulas e as práticas que precisamos. E é uma aula que não está desconectada do processo de trabalho, ela já está ligada ao processo criativo, que já ensaia, já é o início do trabalho do dia. Não é uma aula genérica, é pensada por quem está dentro e está sendo o tempo todo atualizada.” finaliza Janaína.

Bailarinos do Balé da Cidade desenvolvem prática de aula e compartilham conhecimento

A partir dos momentos de crise se pensam e se criam oportunidades e soluções criativas para o fazer artístico. Pela impossibilidade de ter professor, os bailarinos do Balé da Cidade de Teresina começaram a se dar aula, a desenvolver e compartilhar habilidades dentro da Companhia.

“Isso surgiu em um momento em que não tínhamos condição de ter professor contratado e já tinham passado professores pela Companhia que eram excelentes, mas não estava funcionando. Só que eles tinham apenas aquela relação de professor que só dá aula e vai embora, sem acompanhar muito a produção e os espetáculos do Balé. Isso  acabava que ficava uma aula ‘descolada’”, explica a coordenadora artística do Balé da Cidade de Teresina Janaína Lobo.

A ideia foi um desafio, onde muitos dos bailarinos já davam aula em escolas de dança e academias particulares, já outros não tinham experiência nesse sentido, mas tinham o interesse de desenvolver essa habilidade. Então, a provocação foi feita: que tipo de aula precisamos para a manutenção não só física, mas também de ativar a percepção, ser um momento de estudo? O que posso aprender com essa aula do meu colega, numa relação de aula como manutenção ?

Cada bailarino prepara e compartilha sua aula de acordo com suas especialidades, já que a Companhia possui um corpo plural, com bailarinos que vieram de diversos estilos de dança. Das aulas feitas, existe a aula fixa da Natália Nascimento, que também é fisioterapeuta. “Ela faz um trabalho de prevenção de lesão e também de fortalecimento. Como ela é bailarina da Companhia e sabe quais são os espetáculos que estamos ensaiando, ela faz uma aula pensada para aquele trabalho. Cada trabalho tem sua especificidade”, observa Janaína.

“São procedimentos preventivos. Conversamos sobre como poderíamos colocar a fisioterapia na parte preventiva, colocando pilates, fisioterapia desportiva, e às vezes fazer também parte do tratamento quando os meninos estão machucados, ter mais esse cuidado. Penso a aula de acordo com a necessidade do corpo de cada um.” observa Natália.

Além das aulas dos próprios bailarinos da Companhia, o Balé também está aberto para professores e artistas teresinenses e de fora da cidade. Este ano a Companhia recebeu a artista Clarice Lima, de São Paulo, que ministrou a oficina de Flying Low e Passing Through e também a instrutora de yoga Aline Ribeiro.

“Começou como uma situação de crise, mas olhando hoje foi um ganho que tivemos, de ali de dentro surgir e desenvolver as aulas e as práticas que precisamos. E é uma aula que não está desconectada do processo de trabalho, ela já está ligada ao processo criativo, que já ensaia, já é o início do trabalho do dia. Não é uma aula genérica, é pensada por quem está dentro e está sendo o tempo todo atualizada.” finaliza Janaína.

Palácio da Música: Inscrições para cursos começam na próxima quinta-feira (04)

Para aqueles que gostam de música e gostariam de tocar algum instrumento, o Palácio da Música oferece cursos para iniciantes, cujas aulas iniciarão já na primeira semana de agosto de 2019. São cursos de sanfona, violão, violino, viola, contrabaixo acústico e guitarra. As inscrições podem ser realizadas a partir da próxima quinta-feira (04).

A taxa de matrícula custa 50 reais e não há mensalidade. Os interessados poderão se dirigir a casa cultural de segunda à sexta-feira, entre 8h e 18h. Elas duram de acordo com a disponibilidade de vagas, ou seja, por ordem de chegada. Não é necessário levar documentos, apenas preencher uma ficha disponibilizada no próprio Palácio da Música e realizar o pagamento da taxa única.

As aulas acontecem uma vez por semana. Todas as turmas têm duração de 06 meses, com exceção de violão para adultos, que dura 02 meses. Confira os horários:

 

Orquestra escola (não é necessário possuir o instrumento):

Violino, sábado 8h-9h30, para alunos de 08 a 14 anos

Violino, sábado 9h30-11h, para alunos de 08 a 14 anos

Viola, sábado 9h30-11h, para alunos de 12 a 16 anos

Contrabaixo, sábado 9h30-11h, para alunos de 12 a 18 anos

 

Violão para crianças de 08 a 14 anos (precisa possuir o instrumento):

Segunda-feira, 8h-9h30

terça-feira, 15h-16h30

sexta-feira, 8h-9h30

sexta-feira, 15h-16h30

 

Violão para adultos e jovens a partir de 15 anos / Turmas de 02 meses (precisa possuir o instrumento):

Segunda, 15h30 – 17h

Quinta, 16h30 – 18h

Sexta, 18h-19h30

 

SANFONA (alunos de 10 a 18 anos não precisam possuir o instrumento, mais velhos ou mais jovens precisam possuir o instrumento):

Quinta entre 8h e 12h (com uma hora de duração)

Terça entre 14h e 18h (com uma hora de duração)

 

GUITARRA

Teste de nivelamento no dia 1° de agosto de 2019:

Às 9h para quem pode estudar pela manhã

Às 16h para quem pode estudar à tarde ou à noite

 

O teste é gratuito. Após aprovação, é necessário realizar a matrícula, como nos demais cursos. Horários das turmas de guitarra: terça ou quarta pela manhã, entre 8h e 12h, com uma hora de duração; terça de 14h-15h30; quinta de 18h-19h30. O horário do aluno será definido de acordo com o teste de nivelamento.

CEU Sul abre inscrições para oficinas de Teatro

Teresina tem arte em todo canto. Uma prova disso são as atividades de fomento à cultura que acontecem nos diversos espaços espalhados pela cidade, que, além de incrementarem o cenário cultural, desenvolvem um trabalho social com jovens. No CEU – Centro de Arte e Esporte Unificado – SUL, por exemplo, são oferecidas oficinas de artes como a de teatro, que está com inscrições abertas. As aulas iniciam em agosto.

 

Mantido pela Prefeitura de Teresina, o CEU Ana Maria Rego fica localizado no Portal da Alegria, zona sul, e é uma referência de arte e esportes, com um espaço para a prática esportiva, biblioteca e teatro, que recebe duas oficinas de arte da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves com aulas iniciando no mês de agosto.

 

A primeira, Oficina de Teatro Criança e Pré-adolescente, será realizada às terças, das 14h às 15h30. O objetivo é trabalhar a iniciação teatral utilizando as técnicas como instrumento de transformação e autoconhecimento dos participantes. Serão trabalhos diversos exercícios que estimulam a criatividade, trabalham a desinibição, estimulam a tomada de decisão, a concentração e o equilíbrio emocional. Além disso, serão desenvolvidos a base dos trabalhos vocal e corporal para atores. O teatro nessa faixa etária é uma importante ferramenta de desenvolvimento lúdico-pessoal dando ao participante as condições necessárias a formação de sua personalidade e de elementos essenciais do seu caráter.

 

O espaço recebe ainda a Oficina de Iniciação Teatral – Formação Base (Jovens e Adultos), também às terças, mas de 16h às 18h. A proposta é um estudo mais voltado a formação básica do ator dentro do campo da interpretação, preparando assim os seus participantes para as primeiras experiências interpretativas. Serão trabalhados os aspectos vocais, corporais e vivenciais dando ênfase ao processo de autodescobrimento das potencialidades interpretativas dos participantes. Também valorizaremos uma base de instrução teórica que fundamenta as atividades práticas estimulando assim a percepção crítica e criativa.

 

As oficinas serão ministradas pelo diretor teatral Wanden Lima, que é formado em Direção Teatral e já coordenou várias oficinas de teatro em diversos bairros de Teresina. Foi Diretor do Ciarte Matadouro/Teatro do Boi e fundou diversos grupos no Piauí, além de ter participado de Festivais de Teatro em diversos estados ganhando prêmios e destaque.

 

O curso é gratuito, com 30 vagas para cada turma e os interessados podem se inscrever no próprio CEU/SUL.

Definidas apresentações do Festival de Quadrilha Junina de Teresina

Uma grande disputa de cores, dança, alegria e tradição nordestina estará em evidência no Parque de Exposições Dirceu Arcoverde de sexta a domingo com a realização do Festival de Quadrilha Junina de Teresina. O evento acontece dentro Expoteresina e conta com premiação que chega a R$ 10 mil para o melhor grupo, além de prêmios individuais.

Promovido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves, o Festival de Quadrilha Junina de Teresina acontece dentro da programação do Expoteresina. O objetivo é valorizar uma das mais importantes manifestações da cultura popular, que se expressa com força através da integração dos mais diversos grupos, bem como identificar, apoiar e difundir a cultura voltada para as tradições junina. E para isso, será realizado um concurso premiando os melhores grupos.

Serão 15 grupos de vários cantos do Piauí divididos durante três dias com cinco apresentações diárias. A programação foi definida através de sorteio e eles serão avaliados por uma comissão de jurados, que analisará diversos aspectos técnicos como entrada, alinhamento, música à saída.

O presidente da FMC, Luís Carlos Alves, destaca a importância desse tipo de evento tanto para exaltar a cultura popular como para a produção com o envolvimento das comunidades. “É um trabalho grandioso que eles estão desenvolvendo, que envolve desde a costureira ao coreógrafo e produz um resultado muito bom em diversos aspectos, desde o cultural ao econômico”, destaca.

As três primeiras colocadas no Festival de Quadrilhas Junina de Teresina receberão premiação em dinheiro e troféus. O 1º Lugar leva R$ 10 mil e troféu, enquanto o segundo lugar fatura R$ 8 mil e troféu; e terceiro R$ 6 mil e troféu. O evento prevê ainda prêmio para o Melhor Marcador (capacidade de dirigir e conduzir o grupo (por gestos ou voz) com R$ 1 mil e troféu; Melhor Casal de Noivos (será analisado a harmonia, graciosidade, leveza, expressão corporal e animação) com R$ 2mil e troféu; Melhor Casal de Reis Caipiras (simpatia, dança, empolgação e entrosamento do casal) com R$ 2 mil e troféu; além de Destaque (componente que se sobressai na quadrilha), que levará R$ 1mil e troféu.

Confira a ordem de apresentação:

SEXTA:

Lua de Prata / Demerval Lobão – PI

Zabumbada / Altos – PI

Estrela Matutina / Teresina – PI

Chapadão Do Corisco / Teresina – PI

Fogo Quente / Campo Maior / Altos

SÁBADO:

Explosão Estrelar / Teresina – PI

Matuta Retiro dos Ciganos / Esperantina – PI

Fole da Sanfona / Teresina – PI

Puxa o Fole / Teresina – PI

Luar do São João / Teresina – PI

DOMINGO:

Chapéu de Palha / Teresina – PI

Dona Zabumba / São Miguel do Tapuio – PI

Asa Branca do Agreste / Teresina – PI

Balança Matuto / Teresina – PI

Mandacaru do Sertão / Barras – PI

 

Definidos grupos que se apresentarão no Festival de Quadrilha Junina

Não vai faltar cores e dança no Expoteresina com o Festival de Quadrilha Junina de Teresina, que contará com 12 grupos numa disputa de tradição nordestina. O resultado das agremiações que vão participar foi divulgado nesta segunda-feira, 24. A premiação chega a R$ 10mil.

 

Promovido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves, o Festival de Quadrilha Junina de Teresina acontece dentro da programação do Expoteresina. O objetivo é valorizar uma das mais importantes manifestações da cultura popular, que se expressa com força através da integração dos mais diversos grupos, bem como identificar, apoiar e difundir a cultura voltada para as tradições junina. E para isso, será realizado um concurso premiando os melhores grupos.

 

Dezenas de grupos participaram da seleção, que definiu 12 participantes de acordo com os critérios do edital. “A participação dos grupos mostrou que temos um trabalho bem feito por parte das nossas quadrilhas juninas. Os grupos estão realmente correndo atrás e a promessa é de um grande espetáculo”, destaca o gerente de promoção cultural da FMC, Paulo Dantas.

 

Os grupos selecionados se apresentarão nos dias 28 e 29 de junho dentro da Expoteresina, que acontece no Parque de Exposições Dirceu Arcoverde, com seis grupos a cada noite com base no sorteio realizado com os proponentes.

 

As três primeiras colocadas no Festival de Quadrilhas Junina de Teresina receberão premiação em dinheiro e troféus. O 1º Lugar leva R$ 10 mil e troféu, enquanto o segundo lugar fatura R$ 8 mil e troféu; e terceiro R$ 6 mil e troféu. O evento prevê ainda prêmio para o Melhor Marcador (capacidade de dirigir e conduzir o grupo (por gestos ou voz) com R$ 1 mil e troféu; Melhor Casal de Noivos (será analisado a harmonia, graciosidade, leveza, expressão corporal e animação) com R$ 2mil e troféu; Melhor Casal de Reis Caipiras (simpatia, dança, empolgação e entrosamento do casal) com R$ 2 mil e troféu; além de Destaque (componente que se sobressai na quadrilha), que levará R$ 1mil e troféu.

 

LISTA DE CLASSIFICADOS- FESTIVAL DE QUADRILHAS

 

  1. LUA DE PRATA – DEMERVAL LOBÃO-PI
  2. ZABUMBADA- ALTOS-PI
  3. JUNINA MANDACARU DO SERTÃO – BARRAS-PI
  4. FOGO QUENTE ELEGANTE- CAMPO MAIOR/ALTOS-PI
  5. MATUTA RETIRO DOS CIGANOS- ESPERANTINA-PI
  6. BALANÇA MATUTO- ITARARÉ- TERESINA
  7. ASA BRANCA DO AGRESTE- MONTE CASTELO- TERESINA
  8. ESTRELA MATUTINA – VILA MEIO NORTE, PEDRA MOLE- TERESINA
  9. LUAR DO SÃO JOÃO- MEMORARE- TERESINA
  10. CHAPADÃO DO CORISCO- PARQUE ALVORADA- TERESINA
  11. CHAPÉU DE PALHA- PROMORAR- TERESINA
  12. EXPLOSÃO ESTRELAR- DIRCEU II – TERESINA