Entre os dias 19 e 22 de setembro, a capital piauiense recebe a maior mostra de dança do Piauí, que conta com a participação de grupos de todo o país. E além das apresentações, a 22ª Edição do Festival de Dança de Teresina oferecerá ainda oficinas com artistas renomados.

O Festival de Dança de Teresina é promovido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves e tem como objetivo valorizar e disseminar a dança na cidade de Teresina, tornando-a uma referência nacional, bem como revelar bailarinos, coreógrafos, criadores e pesquisadores no fazer da dança.

Os grupos interessados em participar podem se inscrever até o dia 02 de agosto. O edital está disponível no site da Prefeitura de Teresina [www.teresina.pi.gov.br] e da Fundação Monsenhor Chaves [www.fcmc.teresina.pi.gov.br] e, de acordo com o regulamento, as inscrições podem ser feitas na Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, ou via postal, no endereço: Rua Félix Pacheco nº 1440 – Centro, Teresina-PI – CEP: 64001-160. 3.2. Para as inscrições via postal, será considerada postagem datadas até o dia 02 de agosto.

As premiações serão divididas da seguinte forma: variações, solos, duos, trios, pas de deux e grand pas de deux, os conjuntos classificados em 1º, 2º e 3º lugares em cada modalidade/categoria receberão troféu e/ou medalhas. A premiação em dinheiro chega a R$ 1 mil.

Além das apresentações, o evento ainda conta com a realização de oficinas com professores convidados. As inscrições devem ser feitas no próprio dia na secretaria do Evento. O curso terá duração de uma hora e trinta minutos, com limite máximo de 40 alunos por aula. As taxas são de R$ 50 para um curso e R$ 80 para dois.

As aulas serão de Jazz e iniciação pra sapateado americano com Erike Gutierrez; Clássico intermediário, com André Malosá; e Contemporâneo, com Mathues Brusa, que ainda oferecerá palestra de composição coreográfica.

O coordenador de Dança da FMC, Cassius Clay, explica que, muito mais do que um concurso de dança, o evento visa ainda ampliar os horizontes dos dançarinos, proporcionando uma interação com artistas de todo o país. “É um espaço em que se discute a dança em todos os sentidos e com gente de todo Brasil, possibilitando ainda um intercâmbio profissional”, finaliza.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).